Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Hora do Planeta

08
Ago16

No bainhira mundu iha de'it ema na'in 100, oinsá distribuisaun ba rekursu sira?

SAPO TL

Konta sira hahú hosi CIA nian númeru sira maibé halibur tan informasaun oioin sira. No importante liu ne'e maka tau hotu iha nível boot ida ne'ebé bele rekoñese hosi ema hotu. 


 



 


Lójika katak ema na'in 100 bele reprezenta populasaun mundial hamutuk biliaun hitu maka aplika hosi organizasaun lahó final lukrativu 100 People ne'ebé dedika hodi aplika modelu no halo retratu mundial ida. Maibé ideia ne'e la'o dook tebes no bele tulun hodi komprende oinsá bele fahe rekursu sira planeta nian.


 


No hahú hosi aplikasaun ba modelu ne'e maka vídeo ida hatudu, metan no mutin, retratu ida hosi populasaun mundial no hosi asesu ba edukasaun, bee moos, no rikusoin, no sira seluk tan.


 


Iha retratu mundial hosi 100 People mós maka bele iha asesu ba estatístiku sira no ba tema prinsipal sira ne'ebé afeta dezenvolvimentu global, hahú hosi ambiente ba enerjia, funu no abrigu.


 



 


Fonte: SAPO Tek

08
Ago16

E se o mundo só tivesse 100 pessoas, como seria a distribuição de recursos?

SAPO TL

As contas parte dos números da CIA mas juntam mais dados dispersos. E mais importante do que isso, colocam tudo num nível de grandeza mais fácil de reconhecer por todos. 






 


A lógica de que 100 pessoas podem representar os 7 mil milhões da população mundial é aplicada pela organização sem fins lucrativos 100 People que se dedica a aplicar o modelo e fazer um retrato mundial. Mas a ideia foi levada mais longe e pode ajudar a compreender a forma como os recursos do planeta estão distribuídos.


 


É a partir da aplicação deste modelo que um vídeo mostra, preto no branco, um retrato da população mundial e do acesso à educação, água potável, e riqueza, entre outros.


 


No retrato mundial do 100 People também se pode ter acesso a estatísticas e aos principais temas que afetam o desenvolvimento global, desde o ambiente à energia, guerra e abrigo.


 



 


Fonte: SAPO Tek

04
Ago16

No bainhira tasi bele defende aan?

SAPO TL

Kampaña balun ba sensibilizasaun kona-ba poluisaun iha rai-henek hosi tasi-ibun sira kreativu tebes hanesan kampaña ida ne'ebé promove hosi Fundasaun Surfrider, ONG ida ne'ebé dedika ba konservasaun tasi nian. 


 



 


Ho tema "Si la mer pouvait se défendre?" vídeo hatudu mai ita oseanu reativu ida, prontu hodi so'e fali sasán sira ne'ebé ita so'e iha tasi.


 


Ho nia orijinalidade ho humor, kampaña destaka fásil tebes apelu baibain ba sivizmu hosi ema sira ne'ebé relaxadu ne'ebé pasa beibeik veraun. Hein katak iha públiku nia memória, hanesan ho imajen sira vídeo nian, bele rai konsiénsia ambiental balun.


 



Fonte: Green Savers

04
Ago16

E se o mar se pudesse defender?

SAPO TL

Poucas campanhas de sensibilização sobre poluição dos areais das praias foram tão criativas como a que foi promovida pela Fundação Surfrider, uma ONG que se dedica à conservação do meio marinho. 


 



Fonte: Green Savers


 


Sob o tema “E se o mar se pudesse defender?” o vídeo mostra-nos um oceano reactivo, pronto a atirar-nos de volta os detritos que lhe lançamos.


 


Pela originalidade e humor, a campanha destaca-se facilmente dos vulgares apelos ao civismo dos veraneantes que passam nos media verão após verão. Espera-se que na memória do seu público alvo fique, a par das imagens do vídeo, um rasto de consciência ambiental.


 



 


Fonte: Green Savers

04
Ago16

O lado doce de um bicho selvagem

SAPO TL

Raposas selvagens



 


Joke Hulst, um fotógrafo holandês, refere-se à sua arte como um hobby. Apesar de se recusar a ser identificado como profissional, em torno do tema “Raposas Selvagens” fez um trabalho que já correu mundo. Atente nesta espantosa colecção de imagens, reveladoras de uma faceta que raramente podemos observar neste furtivo mamífero: a doçura.


 


@Green Savers

04
Ago16

Hahalok di’ak hosi animál selvajen ida

SAPO TL

Rapoza selvajen



 


Joke Hulst, fotográfu olandés ida, dedika-aan ba arte nu’udar hobby ida. Maski, nia lakohi dehan nia hanesan ema profesionál, relasiona ho tema “Rapoza Selvajens” maski nia halo ona serbisu haleu mundu tomak. Haree didiak imajen hosi kolesaun furak, ne’ebé mamíferu ne’e lanaran hatudu: parte domin ka di’ak.


 


SAPO TL ho Green Savers

03
Ago16

Japaun fó euro millaun 2,4 ba vítima sira rai-maran nian iha Mosambike

SAPO TL

Governu Japaun sei fó dolar millaun 2,7 (euro millaun 2,4) hodi apoia emerjénsia ba vítima sira rai-maran nian iha Mosambike, embaixada nipóniku fó sai hosi komunikadu iha Maputu. 


 



 


Tuir nota, ajuda halo parte hosi osan ho folin dolar millaun lima (eurp millaun 4,4) ne'ebé Japaun sei entrega ba Programa Alimentar Mundial (PAM), hodi tulun vítima sira hosi efeitu sira fenómenu klimátiku El Niño, iha Áfrika Austral.


 


"Ajuda emerjénsia ne'e destina hodi fó hahán no apoiu nutrisional ba Mosambike, Malaui, Lezoto no Suazilándia, ne'ebé nesesidade humanitáriu sira aumenta maka'as, tanba rai-maran ne'ebé El Niño hamosu", haktuir hosi komunikadu.


 


Aleinde kompromete ba parte boot hosi períudu dahuluk époka agríkola tinan 2016 nian, rai-maran ne'ebé afeta provínsia sira iha sentru no súl Mosambike nian halo ema millaun 1,5 maka iha inseguransa alimentar.


 


Hodi hatán ho di'ak ba nesesidade populasaun nian, Institutu Nasional ba Jestaun hosi Dezastre sira (INGC) buka hela dalan sira hodi harii infraestrutura sira rezistente liu no bele disponibiliza lalais informasaun sira hodi fó lalais asisténsia ba ema sira, iha planu ida ne'ebé iha osan ho folin dolar millaun 400 (euro millaun 355) tinan-tinan.


 


Situasaun hosi ema sira ne'ebé afetadu tanba rai-maran iha Mosambike halo Governu dekreta iha fulan-Abrik "alerta mean" hodi dinamiza asaun sira asisténsia nian ba populasaun sira.


 


Mosambike hanesan tinan-tinan hetan bee-sa'e maka'as, fenómenu justifika tanba nia lokalizasaun jeográfiku, iha entre maioria hosi basia hidrográfiku sira hosi Áfrika Austral, maibé parte súl nasaun nian maka afetadu ho rai-maran naruk no tinan ne'e atinji mós provínsia sira hosi rejiaun sentru.


 


Aleinde Mosambike, rai-maran afeta mós nasaun oioin hosi Áfrika Austral, halo Malaui, Zámbia no Zimbabué deklara ona estadu emerjénsia tanba falta hahán.


 


Rai-,maran, ne'ebé dura liu tinan ida resin, afeta mós poténsia boot rejiaun nian, Áfrika-Súl ne'ebé deklara ona rai-maran ne'e hanesan ida ne'ebé aat liu iha tinan 100 ikus ne'e.


 


ho Lusa

03
Ago16

Japão doa 2,4 milhões de euros para vítimas da seca em Moçambique

SAPO TL

O Governo do Japão vai doar 2,7 milhões de dólares (2,4 milhões de euros) para o apoio de emergência às vítimas da seca em Moçambique, anunciou em comunicado a embaixada nipónica em Maputo. 


 



 


Segundo a nota, a ajuda faz parte de uma verba de cinco milhões de dólares (4,4 milhões de euros) que o Japão vai entregar ao Programa Alimentar Mundial (PAM), para o auxílio às vítimas dos efeitos do fenómeno climático El Niño, na África Austral.


 


"Esta ajuda de emergência destina-se a fornecer alimentos e apoio nutricional para Moçambique, Malaui, Lesoto e Suazilândia, onde as necessidades humanitárias têm vindo a crescer, devido à seca causada pelo fenómeno El Niño", refere o comunicado.


 


Além de comprometer grande parte do primeiro período da época agrícola de 2016, a seca que afeta as províncias do centro e sul de Moçambique deixou 1,5 milhões de pessoas em situação de insegurança alimentar.


 


Para responder com eficácia às necessidades da população, o Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC) está à procura de meios para a construção de infraestruturas mais resistentes e capazes de disponibilizar atempadamente informações para a rápida assistência das pessoas, num plano orçado em cerca de 400 milhões de dólares (355 milhões de euros) por ano.


 


A situação das pessoas afetadas pela seca em Moçambique levou o Governo a decretar em abril "alerta vermelho" para dinamizar as ações de assistência às populações.


 


Moçambique é sazonalmente atingido por cheias, fenómeno justificado pela sua localização geográfica, a jusante da maioria das bacias hidrográficas da África Austral, mas o sul do país é afetado por secas prolongadas e que este ano atingem também as províncias da região centro.


 


Além de Moçambique, a seca afeta vários países da África Austral, tendo levado o Malaui, a Zâmbia e o Zimbabué a declararem o estado de emergência, devido à falta de alimentos.


 


A estiagem, que dura há mais de um ano, afeta ainda a maior potência da região, a África do Sul, que declarou esta seca como a pior dos últimos cem anos.


 


com Lusa

Pág. 2/2

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D