Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Hora do Planeta

16
Jun16

Malásia tem parque marinho com um milhão de hectares

SAPO TL

Ao fim de treze anos de negociações e de planeamento entre grupos de conservação, governo e indústria pesqueira, a Malásia conseguiu conquistar um milhão de hectares de parque marinho. 


 




O Tun Mustapha Park, situado na província de Sabah, no Triângulo de Coral, é a casa de várias espécies em perigo, desde dugongos às tartarugas verdes. Cerca de 360 espécies de peixes, mais de 250 espécies de coral e vegetação como o mangal contribuem para a riqueza deste espaço oceânico.

A área onde o parque está inserido sofreu com práticas insustentáveis de pesca, mas a equipa de pesquisa que tem trabalhado no projecto, descobriu que, dos recifes examinados, cerca de 57% seria classificado como “excelente” ou “bom”.  

A equipa registou ainda poluição e 15 bombas usadas na pesca com explosivos, que  fez com que não avistassem muitos tubarões ou tartarugas marinhas, o que é típico de um ecossistema fragilizado e em luta pela sobrevivência.

De acordo com a World Wildlife Fund (WFF) Malásia as regiões que sofreram danos podem recuperar, estimando entre três a cinco anos de recuperação para as zonas menos danificadas e entre cinco a dez anos para as mais afectadas, pode ler-se no inhabitat.

E como forma de proteger a região e incrementar o equilíbrio entre a conservação e as necessidades das comunidades locais o Tun Mustapha Park nomeou zonas de “uso sustentável”, onde apenas a indústria pesqueira local poderá pescar.

O parque tem ainda potencial de ecoturismo nas suas 50 ilhas, onde os visitantes podem praticar várias actividades, desde mergulho ao voluntariado em locais de nidificação de tartarugas ou simplesmente relaxar em praias de areia branca.

Fonte: Green Savers

06
Jun16

Luta pela água estará na origem da Terceira Guerra Mundial

SAPO TL

Em 2015, dados de satélite da NASA revelaram que 21 dos 37 grandes aquíferos do globo estão a passar por stress hídrico, uma crise que, numa era em que há cada vez mais actividades agrícolas e industriais – e mais espalhadas pelo globo – deverá intensificar esta crise.



Um jovem brinca numa fonte em Friedrichshafen, Alemanha. Foto: Felix Kaestle/EPA




Segundo Rajendra Singh, conhecido como “o homem da água da Índia”, estes aquíferos podem ser revitalizados com a ajuda da comunidade, mas existe um grande ponto de interrogação em relação ao stress hídrico: até que ponto ele estará na origem de uma espécie de Terceira Guerra Mundial?


 


“Estamos às portas da Terceira Guerra Mundial. E essa terá como ponto de origem a [falta de] água, se não fizermos nada para parar esta crise”, explicou o também fundador da ONG (organização não-governamental) Tarun Bharat Sangh, que lançou uma série de conversas – World Water Peace Talks – para colocar o assunto na ordem do dia.


 


“Estas são conversas para aumentarmos a notoriedade [do tema] – este ano cobrimos 17 países e em nove deles existiam pessoas deslocadas. Onde o terrorismo está activo existe, normalmente, escassez de água. Há muitas pessoas, no Médio Oriente e países africanos, que estão a ir para a Europa devido à falta de água”, continuou.


 


Segundo Singh, foram as grandes empresas que criaram o mercado da água. “Elas poluem os nossos rios e depois fazem-nos pagar para beber água. Dizem que apenas com um preço alto de mercado é que conseguimos disciplinar a sua utilização, mas isso não é verdade. Na minha região, há 19 anos que o nosso parlamento criou regras e regulamentos sobre água que todos seguem – e existe água para todos”, afirmou Singh.


 


“A gestão comunitária e sustentável de água existe há milhares de anos, sem que ninguém pusesse um valor [no recurso]. Por que é que precisamos disso hoje? Porque o sector corporativo está a fazer as regras. A privatização não é a resposta e cobrar mais também não”, concluiu Singh ao Quartz.


 


Fonte: Green Savers

03
Jun16

Kompetisaun Mundial vídeo #Film4Climate

SAPO TL

Kompetisaun Mundial vídeo #Film4Climate aprezentadu iha Festival Cannes 2016 iha Plage Royale hosi diretora Connect4Climate Lucia Grenna. 


 



 


Konferénsia hetan prezensa hosi parseiru sira hosi inisiativu hodi ko'alia kona-bá kolaborasaun foun sira ne'ebé hakarak halo produsaun sinematográfiku sustentável ida. Liuhosi kolaborasaun internasional, parseiru sira hosi indústria sinematográfiku hakarak aumenta espozisaun no apoiu ba filmi sira ne'ebé ko'alia kona-ba kestaun alterasaun klimátiku sira nian.


 


Inisiativu sinematográfiku ne'e apoia konkretizasaun hosi objetivu 13 hosi Objetivu sira Dezenvolvimentu Sustentável ONU nian, hodi alerta ba nesesidade urjente hosi asaun hodi kombate alterasaun klimátiku sira.


 


Kompetisaun


 


Kompetisaun Mundial vídeo #Film4Climate konvida joven realizadór sira hosi mundu tomak hodi hatudu nia hanoin ba futuru sustentável ida liuhosi vídeo ida ne'ebé foka ba asaun klimátiku sira, hanesan objetivu 13 hosi Objetivu sira Dezenvolvimentu Sustentável hosi ONU nian. Vídeo tenki destaka ema sira ka komunidade sira hodi hala'o asaun hodi trava alterasaun klimátiku, oferese solusaun sira no inspira mudansa pozitivu ida ne'ebé kombate alterasaun klimátiku sira no nia impaktu sira.


 


Realizadór sira hetan korajen hodi esplora narativu pesoal ne'ebé analiza kestaun fundamental sira hanesan:



  • Saida maka signifikadu hosi alterasaun klimátiku ba ó?

  • Asaun saida maka ha'u halo hodi hamenus avansu hosi akesimentu global?

  • Saida maka ha'u nia mensajen ba mundu kona-bá asaun klimátiku?


 


Filmi sira tenki iha minutu lima hodi bele kualifikadu. Kompetisaun sei nakloke ba sineasta sira no aspirante sira ne'ebé iha tinan entrre 14-35. Vídeo sira tenki haruka to'o loron 15 Setembru 2016.


 


Atu hatene liu kona-ba regra sira kompetisaun no rekerimentu sira, vizita: connect4climate.org


 



 


@SAPO Timor-Leste

03
Jun16

Competição Mundial de vídeo #Film4Climate

SAPO TL

Competição Mundial de vídeo #Film4Climate foi apresentada no Festival de Cannes 2016 na Plage Royale pela directora do Connect4Climate Lucia Grenna. 





 


A conferência contou com a presença de parceiros da iniciativa a fim de se discutirem futuras colaborações que pretendem tornar a produção cinematográfica sustentável. Através de uma colaboração internacional, os parceiros da indústria cinematográfica desejam aumentar a exposição e o apoio a filmes que abordam a questão das alterações climáticas.


 


Esta iniciativa cinematográfica apoia a concretização do objectivo 13 de Objectivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, alertando para a necessidade urgente de acção para combater as alterações climáticas.


 


A competição


 


A Competição Mundial de vídeo #Film4Climate convida jovens realizadores de todo o mundo a expressarem a sua visão de um futuro sustentável, através de um vídeo que foque as acções climáticas, o 13 objectivo dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas. O vídeo deverá enfatizar o que os indivíduos e as comunidades estão a realizar para despoletar acção, oferecer soluções e inspirar uma mudança positiva que combata as alterações climáticas e os seus impactos.


 


Os realizadores são encorajados a explorar uma narrativa pessoal que analisa questões fundamentais como:



  • O que é que alterações climáticas significa para ti?

  • Que acções estou a implementar para mitigar o avanço do aquecimento global?

  • Qual é a minha mensagem para o mundo sobre a acção climática?


 


Os filmes deverão ter até cinco minutos para serem qualificados. A competição está aberta a cineastas e aspirantes entre os 14 e os 35 anos. Os vídeos devem ser submetidos até 15 de Setembro 2016.


 


Para saber mais sobre as regras da competição e os requerimentos, visite: connect4climate.org


 



 


@SAPO Timor-Leste

02
Jun16

Salvar Grande Barreira de Coral exige 11.571 milhões de dólares em 10 anos

SAPO TL

Melhorar a qualidade da água na Grande Barreira de Coral, no noroeste da Austrália, exige 11.571 milhões de dólares (10.336 milhões de euros) na próxima década, segundo um estudo governamental divulgado hoje. 


 



Foto: AIMS Austrália and New Zealand Out/EPA




Segundo o canal australiano ABC, os valores integram um estudo realizado por um grupo de peritos em qualidade da água e economia que, por falta de tempo, não foi incluído num relatório sobre a Grande Barreira divulgado na semana passada.


 


O governo do primeiro-ministro Malcolm Turnbull destinou um fundo adicional de mais 124 milhões de dólares (110 milhões de euros) para o orçamento do ano financeiro que começa a 01 de julho.


 


O Partido Trabalhista, que quer vencer as eleições de 2 de julho, prometeu 254 milhões de dólares (227 milhões de euros) para salvar a Grande Barreira, declarada Património Mundial e que enfrenta a maior crise de branqueamento de corais da sua história.


 


A maior ameaça à qualidade das águas na Grande Barreira vem dos pesticidas, dos sedimentos, que bloqueiam a luz solar, e do excesso de nutrientes, como o nitrogénio, que tornam os corais mais vulneráveis ao branqueamento.


 


A saúde da Grande Barreira, que conta com 400 tipos de corais, 1.500 espécies de peixes e 4.000 variedades de moluscos, começou a deteriorar-se na década de 1990 devido ao duplo impacto do aumento da temperatura e da acidez da água do mar.


 


com Lusa


 

02
Jun16

Tulun Great Barrier Reef presiza dolár millaun 11.571 iha tinan 10 nia laran

SAPO TL

Hadi'a kualidade bee nian iha Great Barrier Reef, iha noroeste Austrália nian, presiza dolár millaun 11.571 (ka euro millaun 10.336) iha dékada tuirmai, haktuir estudu hosi governu ne'ebé fó sai iha loron-kinta ne'e. 






Foto: AIMS Austrália and New Zealand Out/EPA




Tuir kanal australianu ABC, folin sira integra iha estudu ida ne'ebé hala'o hosi grupu matenek-na'in sira iha kualidade bee no ekonomia nian ne'ebé, tanba laiha tempu, la tama iha relatóriu ida kona-bá Great Barrier Reef ne'ebé fó sai iha semana liubá.


 


Governu hosi primeiru-ministru Malcolm Turnbull haruka ona fundu adisional ida ho osan dolár millaun 124 (euro millaun 110) ba orsamentu finanseiru tinan nain ne'ebé hahú iha loron 01 Jullu.


 


Partidu Traballista, ne'ebé hakarak manán eleisaun sira iha loron 02 Jullu, promete ona dolár millaun 254 (euro millaun 227) hodi salva Great Barrier Reef ne'ebé deklara hanesan Patrimóniu Mundial no hasoru krizi boot brankeamentu koral sira iha nia istória.


 


Ameasa boot ba kualidade bee nian iha Great Barrier Reef mai hosi pestisida sira, hosi depózitu sira, ne'ebé taka naroman loron nian no exesu hosi nutriente sira hanesan nitrojéniu ne'ebé halo koral sira sai fraku hasoru brankeamentu.


 


Saúde hosi Great Barrier Reef, ne'ebé iha espésie hosi koral hamutuk 400, espésie hosi ikan 1.500 no molusku sira ho variedade hamutuk 4.000, hahú hetan estraga iha dékada 1990 tanba duplu impaktu hosi aumentu temperatura nian no tasi-been ne'ebé siin.


 


ho Lusa

Pág. 2/2

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D