Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Hora do Planeta

08
Mai19

Governu timoroan aprova medida sira protesaun ambiental nian

SAPO TL

Kapital timoroan nian sei hetan sistema foun ida depózitu ho rekolla foer nian, medida ida hosi protesaun ambiental ne'ebé aprova hosi Governu iha loron-kuarta ne'e, aleinde rejimi jurídiku foun hosi protesaun biodiversidade nasaun nian.

dili_farol_noticia.jpg

Medida sira, ne'ebé hato'o hosi sekretáriu Estadu Ambiente nian, Demétrio de Amaral de Carvalho, no hosi ministru Administrasaun Estatal iha ezersísiu, Abílio José Caetano, aprova ona iha reunian loron-kuarta ne'e hosi Konsellu Ministru.

 

Ida maka refere ba prosesu aprovizionamentu ba implementasaun hosi estratéjia investimentu nian ba jestaun rezídiu sólidu iha Díli.

 

Iha kauza maka akizisaun hosi modelu kontentor sira depózitu modernu ho efisiente sira ba restu sira, karreta hodi rekolla foer sira, ekipamentu móvel, balansa ho ekipamentu hodi uza ba rai hodi hadi'a padraun operasional hosi lixeira Tibar nian.

"Objetivu maka hadi'a mós serbisu hodi rekolla foer sólidu sira, ho pasajen ba métodu ida rekolla mekániku nian", esplika hosi Governu.

"Ikusmai, planu hakarak mós halo transformasaun ba lixeira Tibar nian iha rai ida ne'ebé kontrola tuir estratéjia ne'ebé integradu iha tratamentu ba foer sira", hatete.

 

Planu implementasaun foun ba jestaun foer sólidu urbanu nian iha Díli hakarak "hadi'a kualidade hosi ambiente urbanu no saúde, hamenus risku ba inundasaun sira, hadi'a efisiénsia iha rekolla no jestaun ba foer sira liuhosi prátika sira nível internasional nian, kria oportunidade sira empregu nain no posibilidade hosi aumentu turizmu nian ba jestaun di'ak no manutensaun ambiental".

 

Iha parte seluk, aprova mós "Rejimi Jurídiku Protesaun foun no Konservasaun Biodiversidade nian" ne'ebé hakarak "salvaguarda ba biodiversidade boot Timor-Leste nian, ne'ebé pozisiona iha rejiaun ida ho biodiversidade boot iha mundu no ne'ebé iha númeru boot hosi ai-horis no animal sira ne'ebé diferente".

 

Dekretu-lei defini kuadru jurídiku protesaun nian no konservasaun ba biodiversidade, komplementa dispostu iha Sistema Nasional hosi Área Protejidu sira, no implementa Lei hosi Baze sira Ambiente nian, "iha parte ne'ebé Estadu kaer ba adopsaun hosi medida sira ne'ebé presiza ba protesaun ho konservasaun hosi espésie sira, habitat sira ho ekosistema sira".

 

Iha parte institusional sira, dekretu-lei hakarak "promove mós integrasaun hosi konsiderasaun sira kona-ba biodiversidade sira iha polítika setorial oioin, defini responsabilidade sira hosi interveniente governamental ida-idak no iha tempu hanesan husu partisipasaun ativa hosi área tomak hosi sosiedade iha protesaun hosi biodiversidade no uzu sustentável hosi komponente sira, iha kuadru partisipativu no kolaborasaun no konsulta".

 

Ezekutivu timoroan analiza ona, iha loron-kuarta ne'e, dekretu-lei ida hodi hamenus uzu úniku ba plástiku sira.

 

Tuir Governu, diploma hakarak "prevene ho hamenus impaktu hosi foer sira iha ambiente, afeta liuliu iha produtu sira plástiku nian ho utilizasaun úniku".

Entre medida sira, iha proibisaun fa'an nian, importasaun no produsaun hosi produtu plástiku sira ne'ebé la resiklável, bandu mós produsaun ho uzu hosi "sasán balun ne'ebé halo hosi plástiku".

 

Testu defini mós "fundamental prinsípiu oioin", liuliu ba "prekausaun, prevensaun, dezenvolvimentu sustentável, seguransa ambiental global, poluidor-pagador, reutilizasaun ho resiklajen ho valorizasaun enerjétiku".

Proposta ne'e sei analiza fali hosi Konsellu Ministru.

 

Fonte: Ajénsia Lusa

08
Mai19

Governo timorense aprova medidas de proteção ambiental

SAPO TL

A capital timorense vai passar a ter um novo sistema de depósito e recolha de lixos, uma das medidas de proteção ambiental aprovadas hoje pelo Governo, além do novo regime jurídico de proteção da biodiversidade do país.

dili_farol_noticia.jpg

As medidas, propostas pelo secretário de Estado do Ambiente, Demétrio de Amaral de Carvalho e pelo ministro da Administração Estatal em exercício, Abílio José Caetano, foram aprovadas na reunião de hoje do Conselho de Ministros.

 

Uma delas refere-se ao processo de aprovisionamento para a implementação da estratégia de investimento para a gestão de resíduos sólidos em Díli.

 

Em causa está a aquisição de modelos de contentores para o depósito de resíduos modernos e eficientes, veículos para recolha de resíduos, equipamento móvel, balança e equipamento de aterro para melhoria do padrão operacional da lixeira de Tibar.

“É também objetivo a melhoria do serviço de recolha de resíduos sólidos, com a passagem para um método de recolha mecânica”, explica o Governo.

“Finalmente, o plano visa também a transformação da lixeira de Tibar num aterro controlado de acordo com a estratégia integrada de tratamento de resíduos”, nota.

 

O novo plano de implementação de gestão de resíduos sólidos urbanos em Díli pretende “melhorar a qualidade do ambiente urbano e a saúde, reduzir o risco de inundações, melhorar a eficiência na recolha e gestão dos resíduos através de práticas de nível internacional, criar oportunidades de emprego e possibilidade de crescimento do turismo pela eficaz gestão e manutenção ambiental”.

 

Por outro lado, foi aprovado o novo “Regime Jurídico da Proteção e Conservação da Biodiversidade”, que visa “salvaguardar a vasta biodiversidade de Timor-Leste, que se posiciona numa das regiões com maior biodiversidade no mundo e que acolhe um sem número de espécies diferentes de fauna e flora”.

 

O decreto-lei define o quadro jurídico da proteção e conservação da biodiversidade, complementando o disposto no Sistema Nacional de Áreas Protegidas, e implementa a Lei de Bases do Ambiente, “na parte em que expressamente incumbe o Estado à adoção de medidas necessárias para a proteção e conservação das espécies, habitats e ecossistemas”.

 

Em termos institucionais, o decreto-lei visa também “promover a integração das considerações sobre biodiversidade nas diferentes políticas setoriais, definir as responsabilidades de cada um dos intervenientes governamentais e simultaneamente requerer a participação ativa de todos os setores da sociedade na proteção da biodiversidade e uso sustentável dos componentes, num quadro participativo e de colaboração e consulta”.

O executivo timorense analisou hoje um decreto-lei para restringir o uso único de plásticos.

 

Segundo o Governo, o diploma visa “prevenir e reduzir o impacto de resíduos no ambiente, incidindo, principalmente, nos produtos de plástico de utilização única”.

Entre outras medidas, prevê-se a proibição de venda, importação e produção de produtos de plástico não recicláveis, sendo ainda proibido a produção e uso de “determinados objetos de plástico”.

 

O texto define ainda vários “princípios fundamentais”, nomeadamente de “precaução, prevenção, desenvolvimento sustentável, segurança ambiental global, poluidor-pagador, reutilização e reciclagem e valorização energética”.

Esta proposta voltará a ser analisada posteriormente pelo Conselho de Ministros.

 

Fonte: Agência Lusa

12
Abr19

Klima: Prezidente Xile nian husu "vontade maka'as" ba konferénsia ONU tuirmai

SAPO TL

Prezidente Xile nian, Sebastián Pinera, aprezenta ona iha loron-kinta realizasaun hosi konferénsia ba dala 25 hosi ONU nian kona-ba mudansa klimátika, iha Santiago, iha final tinan ne'e.

alterações_climaticas_noticiatl.jpg

Ba konferénsia ne'e hosi parte sira (COP, iha sigla ho lian inglês), Pinera husu ona "vontade ida ne'ebé firme tebes no komprometidu liu" ba ambiente.

 

Iha sentidu ne'e, nia apela ona ba governu sira hodi foti desizaun sira hodi kombate hasoru mudansa klimátiku sira, hasoru "sinal sira fraku nian" ne'ebé hatudu loloos hosi Estadu balun kona-ba asuntu ne'e.

"Iha nasaun sira ne'ebé sai hosi akordu sira COP, (ka) ne'ebé la asumi kompromisu loloos sira ne'ebé maka iha; iha nasaun balun ne'ebé maka asumi maibé la kumpri. Ne'e tenki muda", Pinera hatete iha Palásiu La Moneda, sede hosi Ezekutivu xilenu nian.

 

Pinera destaka ona katak iha simeira kona-ba klima ne'e sei hanoin prezensa hosi reprezentante sira hosi nasaun hamutuk 195 no ema hamutuk rihun 25 iha Santiago, nune'e sei harii resintu ida iha sudueste kapital nian hodi simu eventu ne'e.

"Realizasaun iha fulan-Dezembru tinan ne'e hosi COP25 iha ami nia nasaun hanesan importante tebes tanba hanesan enkontru ne'ebé ita halo iha humanidade ho importánsia boot no kapasidade boot hodi foti desizaun sira hodi ita hasoru problema ne'e. Hanesan oportunidade estraordináriu ida ne'ebé ita labele estraga", nia hatutan.

 

Planeta "kleur ona hakilar ba terus sira", afirma hosi Pinera ne'ebé aponta ona responsabilidade ba ema iha akesimentu global nian.

"Ne'e hanesan notísia di'ak ida, tanba bainhira la'ós hanesan ita nia responsabilidade, ita sei la halo buat ida. Maibé tanba ita maka hamosu problema ne'e, ita maka bele muda dalan istória nian", nia hatete.

 

Iha okaziaun, nia kritika ona ema sira ne'ebé "ladún iha reflesaun, deklara nia setisizmu kona-ba kauza sira hosi fenómenu", nune'e mós "ba sira ne'ebé, ho iresponsabilidade maka'as, adia beibeik asaun".

 

Fonte: Ajénsia Lusa

12
Abr19

Clima: Presidente do Chile pede "mais vontade" para próxima conferência da ONU

SAPO TL

O presidente do Chile, Sebastián Pinera, apresentou na quinta-feira a realização da 25.ª conferência da Organização das Nações Unidas sobre alterações climáticas, em Santiago, no final do ano.

alterações_climaticas_noticiatl.jpg

Para esta conferência das partes (COP, na sigla em Inglês), Pinera pediu uma “vontade mais firme e muito mais comprometida” em favor do ambiente.

 

Neste sentido, apelou aos governos para que tomem decisões de combate às alterações climáticas, perante os “sinais de debilidade” evidenciados por alguns Estados a este propósito.

“Há países que se retiram dos acordos da COP, (ou) que não assumem compromissos verdadeiramente exigentes; há outros que os assumem, mas não nos cumprem. É o que temos de mudar”, afirmou Pinera, no Palácio da La Moneda, sede do Executivo chileno.

 

Pinera destacou nesta cimeira sobre o clima que está prevista a presença de representantes de 195 países e a chegada de 25 mil pessoas a Santiago, pelo que vai construir um recinto a sudoeste da capital para colher o evento.

“A realização em dezembro deste ano no nosso país da COP25 é muito importante, porque é o encontro que temos na humanidade com a maior importância e a maior capacidade para tomar decisões para enfrentarmos este problema. É uma extraordinária oportunidade que não podemos desperdiçar”, acrescentou.

 

O planeta “está a dar gritos de angústia há muito tempo”, afirmou Pinera, que apontou a responsabilidade humana no aquecimento global.

“Esta é uma boa notícia, porque se não fosse responsabilidade nossa, não tínhamos que fazer. Mas precisamente porque causamos este problema, somos nós que podemos mudar o curso da história”, assinalou.

 

Na ocasião, criticou os que, “de forma muito leviana, declaram o seu ceticismo sobre as causas do fenómeno”, bem como “os que, com grande irresponsabilidade, adiam permanentemente a ação”.

 

Fonte: Agência Lusa

01
Abr19

Ema guiniense emigrante iha Noruega hakarak tau kaixote lixu hamutuk 1000 iha Bissau

SAPO TL

Joven guiniense Juviano Landim, emigrante iha Noruega, hahú ona dezafiu hodi tau kaixota lixu rihun ida iha estrada sira iha Bissau, hodi bele sai mós liu hosi projetu "Homens Novos" hodi inspira sidadaun sira hodi iha hahalok di'ak liu.

bissau_cidade.jpg

Hahú hosi loron 26, Juviano no grupu ida ho joven na'in 30 hosi projetu "Homens Novos" hahú ona tau resipiente sira iha kantu balun hosi kapital guiniense nian, hodi hanoin hahú kampaña sensibilizasaun ida hodi nune'e ema sira bele hahú so'e foer iha bidón metáliku sira ne'e.

 

Juviano Landim, joven guiniense ne'ebé boot iha Portugal, maibé emigrante iha Noruega hahú hosi tinan 2008, nia objetivu maka tau bidón hamutuk rihun ida iha estrada sira.

"Ami hakarak iha sidade ida moos. Ami hanesan ema foun sira, mentalidade foun ida. Presiza de'it Guiné ida ne'ebé oinseluk, Guiné ida ne'ebé di'ak liu, Bissau ida ne'ebé moos, ami hakarak sidade ida ne'ebé moos, hanesan ami nia objetivu iha projetu ne'e", nia hatete ba Lusa hodi justifika inisiativu ne'e.

 

Juviano Landim afirma ona katak nia halo asaun ne'ebé maka nia bele nu'udar sidadaun hodi tulun muda mentalidade sira iha nasaun ida, iha sidade ida "ne'ebé halo ema barak hakarak" iha termu sira saneamentu ne'ebé tuir nia katak populasaun laiha hábitu so'e foer ba fatin ida nia laran, tanba "la ezisti".

 

Promotor sira hosi projetu "Homens Novos" sosa bidón sira ho litru 200 iha gazolineiru sira, liuliu ba subsidiáriu Galp nian iha Guiné-Bissau, Petromar, ko'a iha klaran, pinta, fura, hodi evita tentativa naok hodi iha rezultadu seluk, no hafoin ne'e tau iha fatin sira pasajen nian hodi nune'e ema sira bele uza hodi so'e foer.

Juviano Landim hatutan katak ideia maka atu Kámara Munisipal hasai kaixote lixu sira loron-loron no nunka falta dalan sira hosi sosa bidón sira.

 

Liuhosi ezemplu iha rede sosial sira hosi asaun sira ne'e, projetu "Homens Novos" simu apoiu finanseiru sira liuliu hosi ema guiniense sira iha estranjeiru, liu duké iha nasaun rasik, destaka hosi promotor hosi inisiativu ne'ebé hakarak "muda Bissau nia oin".

 

Juviano Landim konsidera aan hanesan patriota nune'e maka serbisu nafatin hodi aprende iha emigrasaun, fila no ajuda Guiné-Bissau, hodi hanorin iha sidadaun sira respeitu ba ema ida.

"Ha'u sai hosi ne'e bainhira sei ki'ik, ha'u boot iha Portugal, ha'u ba Noruega iha tinan 2008. Ha'u haree iha Noruega respeitu ba ema, ha'u aprende ona no nu'udar ema guiniense, ha'u gosta ha'u nia ra'in, ha'u konsidera aan nu'udar patriota ida, ne'e hanesan nafatin ha'u nia objetivu hodi fila hodi serbisu ba ha'u nia ra'in", Landim hatete.

 

Tanba hakarak serbisu "ho dalan honestu", Juviano moris entre Bissau ho Noruega, fatin ne'ebé nia fali bainhira falta ba nia rekursu sira hodi dezenvolve projetu ne'ebé lori hosi emigrasaun.

 

Fonte: Ajénsia Lusa

01
Abr19

Guineense emigrante na Noruega quer colocar 1000 caixotes de lixo em Bissau

SAPO TL

O jovem guineense Juviano Landim, emigrante na Noruega, iniciou o desafio de colocar mil caixotes de lixo pelas ruas de Bissau, para ficar mais limpa através do projeto "Homens Novos"para inspirar os cidadãos a terem um comportamento melhor.

bissau_cidade.jpg

Desde dia 26, Juviano e um grupo de 30 jovens do projeto "Homens Novos" começaram a colocar recipientes em alguns cantos da capital guineense, contando iniciar uma campanha de sensibilização para que as pessoas passem a deitar lixo naqueles bidões metálicos.

 

A meta de Juviano Landim, jovem guineense crescido em Portugal, mas emigrante na Noruega desde 2008, é colocar nas ruas mil bidões.

"Queremos ter uma cidade limpa. Somos homens novos, uma mentalidade nova. Basta uma Guiné diferente, uma Guiné melhor, um Bissau limpo, uma cidade limpa é o que nos pretendemos, é o nosso ganho neste projeto", disse á Lusa para justificar a iniciativa.

 

Juviano Landim afirmou que faz o que pode enquanto cidadão para ajudar a mudar as mentalidades num país, numa cidade "que deixa muito a desejar" em termos de saneamento, onde, disse, a população não tem o hábito de deitar o lixo para algum recipiente, que "nem existe".

 

Os promotores do projeto "Homens Novos" compram os bidões de 200 litros às gasolineiras, nomeadamente à subsidiaria da Galp na Guiné-Bissau, a Petromar, cortam-nos ao meio, pintam-nos, perfuram-nos, para evitar tentação de roubo para outros fins, e a seguir colocam-nos em lugares de passagem para que as pessoas deixem aí o lixo.

A ideia, acrescentou Juviano Landim, é que a Câmara Municipal retire as caixas do lixo diariamente e que nunca falte meios para a compra dos bidões.

 

Através da amostra nas redes sociais das ações, o projeto "Homens Novos" tem recebido apoios financeiros sobretudo de guineenses no estrangeiro, mais do que no próprio país, destaca o promotor da iniciativa que visa "mudar o rosto de Bissau".

 

Juviano Landim considera-se patriota daí ter trabalhado sempre no sentido de apreender na emigração, voltar e ajudar a Guiné-Bissau, incutindo nos cidadãos o respeito pelo ser humano.

"Saí daqui muito novo, cresci em Portugal, fui para Noruega em 2008. Vi na Noruega o respeito pelo ser humano, aprendi isso e como guineense, gosto da minha terra, considero-me um patriota, sempre foi meu objetivo voltar para trabalhar para minha terra", frisou Landim.

 

Por querer trabalhar "de forma honesta", Juviano vai vivendo entre Bissau e a Noruega, para onde volta sempre que lhe faltam recursos para desenvolver o projeto que traz da emigração.

 

Fonte: Agência Lusa

29
Mar19

Makau desliga ahi sira iha loron-sábadu ne'e ba "Earth Hour", inklui kazinu sira

SAPO TL

Makau sei desliga, iha loron-sábadu ne'e, durante minutu 60, "ahi sira ne'ebé la presiza" hodi hamutuk dala ida tan ba Earth Hour, inisiativu global ne'ebé maka estende mós ba kazinu sira iha teritóriu.

hora_planetatl2019.jpg

Entre tuku 20:30 to'o tuku 21:30, Makau sei kumpri "apagaun mundial" durante oras ida ne'ebé promove hosi Fundu Mundial ba Moris Selvajen ho Natureza (WWF), hodi apoia "konservasaun enerjia no hamenus emisaun sira", hatete hosi Gabinete ba Dezenvolvimentu hosi Área Enerjétiku, iha komunikadu.

 

Tinan ne'e, hamutuk ona ba inisiativu ponte tolu ne'ebé liga península Makau ba illa Taipa, operador neen kazinu nian, edifísiu sira hosi serbisu governamental sira no "edifísiu simbóliku sira hosi sidade".

Governu, ne'ebé hamutuk ba dala 11 ba movimentu global ne'e, apela mós ba partisipasaun hosi sidadaun tomak no empreza sira hosi área industrial ho komersial.

 

Earth Hour hahú iha tinan 12 liubá iha Sydney, ne'ebé kalkula ona katak ema millaun rua resin kolabora ona ho apagaun ne'e hodi poupa enerjia ne'ebé uza iha sidade hosi 2% ba 10%.

 

Maibé, Earth Hour sai ona hanesan "movimentu ida ne'ebé la'ós de'it hodi hamate ahi", esplika hosi Miguel Ángel Valadares, hosi WWF, entidade ne'ebé hein katak sei envolve sidadaun millaun resin iha mundu tomak, ba ajénsia notísia Efe.

Novidade iha tinan ne'e inklui apelu adisional tolu ba loron tomak: la han na'an, la konsumi plástiku sira no la emiti CO2, hanesan kontributu partikular sira hodi ajuda hamenus lakon biodiversidade sira.

 

Iha loron-sábadu ne'e, kalkula katak autarkia ho empreza sira hamutuk millaun resin hosi kuaze nasaun hamutuk 190 sei hamutu hodi desliga ahi iha nível mundial durante oras ida, asaun ne'ebé hala'o ona dezde tinan 2007.

 

Fonte: Ajénsia Lusa

29
Mar19

Macau desliga luzes este sábado pela "Hora do Planeta", incluindo casinos

SAPO TL

Macau vai desligar este sábado, durante 60 minutos, todas as “luzes desnecessárias”, juntando-se mais uma vez à Hora do Planeta, iniciativa global que se estende aos casinos do território.

hora_planetatl2019.jpg

Entre as 20:30 e as 21:30, Macau vai cumprir o “apagão mundial” de uma hora promovido pelo Fundo Mundial para a Vida Selvagem e Natureza (WWF), apoiando a “conservação de energia e a redução de emissões”, indicou o Gabinete para o Desenvolvimento do Setor Energético, em comunicado.

 

Este ano, juntam-se à iniciativa as três pontes que ligam a península de Macau à ilha da Taipa, as seis operadoras de casinos, os edifícios dos serviços governamentais e alguns dos “edifícios mais emblemáticos da cidade”.

O Governo, que se junta pela 11.ª vez ao movimento global, apelou ainda à participação de todos os cidadãos e das empresas dos setores industrial e comercial.

 

A Hora do Planeta começou há 12 anos em Sydney, onde se estima que mais de dois milhões de pessoas colaboraram com o apagão para uma poupança de 2% a 10% da energia consumida na cidade.

 

No entanto, a Hora do Planeta converteu-se “num movimento que vai muito mais além” do que apagar a luz, explicou à agência de notícias Efe Miguel Ángel Valadares, da WWF, entidade que espera voltar a envolver milhares de cidadãos em todo o mundo.

 

A novidade este ano inclui três apelos adicionais para todo o dia: não comer carne, não consumir plásticos e não emitir CO2, como contributos particulares para ajudar a reduzir a perda de biodiversidade.

Este sábado, estima-se que milhares de autarquias e empresas de quase 190 países juntar-se-ão a este apagão mundial de uma hora que se realiza desde 2007.

 

 

 

Fonte: Agência Lusa

14
Mar19

Governu Makau hakarak aplika taxa ba saku plástiku sira

SAPO TL

Iha loron-kinta ne'e Governu Makau fó sai intensaun hodi aplika taxa sira ba saku plástiku sira, medida ida ne'ebé kleur ona husu hosi ativista ambiental sira, no promete ona hodi avansa ho bandu hosi material sira seluk.

plastico_tl.jpg

Proposta lei ne'e aprezenta ona iha konferénsia imprensa hosi Konsellu Ezekutivu.

Governu hato'o katak "fornesimentu hosi saku plástiku sira iha asaun fa'an nian sei efetua ho obrigatóriu ho títulu todan ida" ka liuhosi "folin fiksu ida liuhosi despaxu hosi xefe ezekutivu", hatete hosi porta-vós hosi Konsellu Ezekutivu.

 

Leong Heng Teng esplika ona katak kobransa sei aplika ba "tipu tomak hosi saku plástiku sira", maibé lei haree ba esepsaun sira "tanba razaun hijiene ho seguransa nian", liuliu iha kazu sira ba "ai-moruk sira no hahán sira ne'ebé ladún falun ho di'ak".

 

"Iha 2017, ami produz ona foer ho tonelada 1.400 no 23% koresponde ba plástiku, ne'ebé 13% hanesan saku plástiku sira", fó hanoin hosi diretor hosi Serbisu sira Protesaun Ambiental nian, Tam Vai Man, ne'ebé marka prezensa iha konferénsia imprensa.

Nune'e, Tam Vai Man garanti ona katak "hakat tuirmai" maka "hamenus material sira seluk".

 

Proposta, ne'ebé kalkula multa sira entre pataka rihun ida to'o rihun sanulu (entre euro 100 to'o rihun resin), agora sei ba diskusaun iha Asembleia Lejislativu Makau nian.

Deputadu ho ativista sira husu beibeik medida lejislativu sira hosi protesaun ambiental nian, liuliu kona-ba plástiku deskartável.

 

Tuir Governu, maioria hosi partisipante sira hosi konsulta públika konsidera ona "uzu maka'as" hosi saku plástiku sira hanesan "situasuan krítiku ida" iha teritóriu, ne'ebé iha 2017 rejista ona lixu maka'as "tuir kapita" duké iha Pekin, Xangai ka Hong Kong.

 

Iha fulan-Agostu nia rohan, petisaun ida hasoru uza plástiku deskartável halibur ona asinatura rihun resin iha Makau. Hodi hatán, Governu promete ona "estudu ho di'ak no neineik ba serbisu lejislativu sira [kona-ba protesaun ambiental nian]".

 

Iha deklarasaun sira ba Lusa, Annie Lao, personajen prinsipal ida hosi petisaun, konsidera ona asaun Governu nian hanesan la sufisiente, "iha termu polítika sustentável nian", hatudu preokupasaun ho kazino sira iha teritóriu ne'ebé, tuir ativista nia opiniaun, hanesan utilizador maka'as hosi rekursu sira hanesan "bee, enerjia ho plástiku".

 

Iha loron dahuluk tinan 2019 nian, grupu hoteleiru ho operadora jogu nian Sands China anunsia bandu hodi la uza palliña plástiku nian, hodi kalkula hamenus palliña hamutuk millaun 2,2 tinan-tinan, ka, tonelada ida hosi plástiku. Iha 2017, propriedade sira hosi empreza simu ona vizitante sira hamutuk millaun 97 resin.

 

MGM, ho kazinu rua iha Makau, promete mós hodi la uza plástiku tomak ho utilizasaun úniku, durante trimestre dahuluk tinan nian.

 

Iha Makau laiha fábrika ruma hodi halo saku plástiku sira ne'ebé maka importa hosi Xina, Vietnam, Hong Kong, ho fatin sira seluk.

 

Lusa

14
Mar19

Governo de Macau quer aplicar taxas sobre sacos de plástico

SAPO TL

O Governo de Macau anunciou hoje a intenção de aplicar taxas sobre os sacos de plástico, uma medida há muito exigida por ativistas ambientais, e prometeu avançar com a restrição de outros materiais.

plastico_tl.jpg

A proposta de lei foi apresentada em conferência de imprensa do Conselho Executivo.

O Governo propõe que “o fornecimento de sacos de plástico nos atos de venda a retalho seja efetuado obrigatoriamente a título oneroso”, ou seja, através de “um preço a fixar por despacho do chefe do executivo”, disse o porta-voz do Conselho Executivo.

 

Leong Heng Teng explicou que a cobrança se aplica a “todos os tipos de sacos de plástico”, mas que a lei prevê exceções "por razões de higiene e segurança”, nomeadamente em casos de “medicamentos e alimentos não devidamente embalados”.

 

“Em 2017, produzimos 1.400 toneladas de lixo e 23% correspondem a plástico, dos quais 13% são sacos de plástico”, lembrou o diretor dos Serviços de Proteção Ambiental, Tam Vai Man, presente na conferência de imprensa.

Neste sentido, Tam Vai Man garantiu que o “próximo passo” é a “restrição de outros materiais”.

 

A proposta, que prevê multas entre mil e dez mil patacas (entre cerca de 100 e mil euros), segue agora para discussão na Assembleia Legislativa de Macau.

Deputados e ativistas têm vindo a exigir medidas legislativas de proteção ambiental, em especial sobre o plástico descartável.

 

De acordo com o Governo, a maioria dos participantes de uma consulta pública considerou o “uso excessivo” de sacos de plástico “uma situação crítica” no território, que em 2017 registava mais lixo ‘per capita’ do que Pequim, Xangai ou Hong Kong.

 

No final de agosto, uma petição contra o uso do plástico descartável reuniu milhares de assinaturas em Macau. Em resposta, o Governo prometeu "aprofundar gradualmente os respetivos trabalhos legislativos [sobre proteção ambiental]".

 

Em declarações à Lusa, Annie Lao, um dos principais rostos da petição, considerou a ação do Governo insuficiente, "em termos de política sustentável", mostrando-se preocupada com os casinos do território que, na opinião da ativista, são os maiores utilizadores de recursos como “água, energia e plástico”.

 

No primeiro dia de 2019, o grupo hoteleiro e operadora de jogo Sands China anunciou a proibição do uso de palhinhas de plástico, prevendo economizar 2,2 milhões de palhinhas por ano, ou seja, uma tonelada de plástico. Em 2017, as propriedades da empresa receberam mais de 97 milhões de visitantes.

 

Também o MGM, com dois casinos em Macau, já prometeu abandonar todos os plásticos de utilização única, durante o primeiro trimestre deste ano.

 

Não existe em Macau qualquer fábrica de produção de sacos de plástico, que são importados da China, do Vietname e de Hong Kong, entre outros.

 

Lusa

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D