Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Hora do Planeta

14
Dez16

Ártiku manas tebes entre Outubru 2015 no Setembru 2016

SAPO TL

Ártiku manas tebes iha períudu fulan 12 nia laran ne'ebé hotu iha Setembru, bainhira ár manas hamosu fuzaun maka'as ida jelu ho neve no atraza jelu invernu nian, fó saihosi sientista sira iha loron-tersa. 


 



 


Avaliasaun hosi rezultadu aat ne'e halo iha relatóriu kona-ba Ártiku relasionadu ho 2016, dokumentu ida ne'ebé revistu hosi sientista sia seluk ne'ebé la'ós hanesan autor, halo hosi sientista na'in 61 hosi mundu tomak, ne'ebé publika hosi ajénsia governamental EUA nian ba Atmosfera no Oseanu sira nian (NOAA, sigla ho lian inglés).


 


Dokumentu ko'alia entre períudu Outubru 2015 to'o Setembru 2016, períudu ida ne'ebé "temperatura média anual iha área terestre (hosi Ártiku) aas tebes duké nunka", hanesan hatete.


 


"Ladún haree Ártiku hatudu loloos hanesan ne'e, sinal forte ka asentuadu hosi akesimentu ne'ebé dura no nia efeitu sira iha parte sira iha ambiente iha tinan ne'e", afirma hosi Jeremy Mathis, diretór hosi programa investigasaun kona-ba Ártiku ne'ebé maka dezenvolve hela iha NOAA.


 


Rejiaun Ártiku kontinua manas ho velosidade ida ne'ebé maka'as tebes duké fatin seluk iha planeta, ne'ebé sei iha mós iha 2016 tinan ida ne'ebé manas liu hosi tempu modernu sira nian.


 


Sientista klimátiku sira hatete ona katak razaun ba aumentu temperatura inklui sunu kombustível fossil sira, ne'ebé hasai gas sira ho efeitu estufa ba atmosfera, nune'e mós tendénsia hosi akesimentu ba oseanu ne'ebé iha ligasaun ho El Niño, ne'ebé hotu iha tinan nia klaran maibé aumenta maka'as akesimentu.


 


Temperatura média anual Ártiku nian iha rai aumenta iha 3,5 grau Celsius ne'ebé maka rejista iha 1900.


 


Temperatura hosi superfísie tasi nian iha veraun, iha Agostu 2016, maka 5ºC aas liu média hosi períudu 1982-2010 iha tasi sira Barents ho Chukchi, nune'e mós iha tasi-ibun sira leste no oeste Gronelándia nian.


 


ho Lusa

14
Dez16

Ártico bate recordes de calor entre outubro de 2015 e setembro de 2016

SAPO TL

O Ártico bateu recordes de calor no período de 12 meses terminado em setembro, quando o ar quente desencadeou uma fusão massiva de gelo e neve e atrasou o gelo do inverno, divulgaram cientistas na terça-feira. 


 



 


A avaliação lúgubre foi feita no relatório sobre o Ártico relativo a 2016, um documento revisto por outros cientistas que não os seus autores, feito por 61 cientistas de todo o mundo, que é publicado pela agência governamental dos EUA para a Atmosfera e os Oceanos (NOAA, na sigla em Inglês).


 


O documento cobre o período de outubro de 2015 a setembro de 2016, um período em que “a temperatura média anual sobre as áreas terrestres (do Ártico) foi a maior desde que há registos”, como se salientou.


 


“Raramente se viu o Ártico evidenciar um tão claro, forte ou acentuado sinal de persistente aquecimento e os seus efeitos em cascada no ambiente do que este ano”, afirmou Jeremy Mathis, diretor do programa de investigação sobre o Ártico que está a ser desenvolvido na NOAA.


 


A região do Ártico continua a aquecer a uma velocidade que é o dobro da do resto do planeta, que também deve ter em 2016 o ano mais quente dos tempos modernos.


 


Os cientistas climáticos disseram que as razões para o aumento da temperatura incluem a queima dos combustíveis fósseis, que emite gases com efeito de estufa para a atmosfera, bem como a tendência de aquecimento do oceano associada ao El Niño, que terminou em meados do ano mas exacerbou o aquecimento.


 


A temperatura média anual do Ártico em terra supera em 3,5 graus Celsius (ºC) a registada em 1900.


 


A temperatura da superfície do mar no pico do verão, em agosto de 2016, esteve 5ºC acima da média do período 1982-2010 nos mares de Barents e Chukchi, bem como nas costas leste e oeste da Gronelândia.


 


com Lusa

14
Dez16

Bispu Ximenes Belo alerta ba animal no ai-horis sira ne'ebé lakon iha Timor-Leste

SAPO TL

Bispu katóliku timoroan Ximenes Belo alerta iha loron-kuarta ne'e iha Coimbra ba ai-horis no animal sira ne'ebé lakon iha Timor-Leste, ne'ebé bele hetan iha "foho sira ne'ebé hatudu aspetu triste no estraga boot". 


 



Manu-fuik iha Tibar, Timor-Leste. Fotografia hasai no fó rasik hosi António Casais ba SAPO Timor-Leste


 


Bispu subliña katak "meiu ambiente timoroan nian sai fraku beibeik", bainhira nia observa kona-ba ai-laran sira hosi "ai-kameli, ai-teka, eukaliptu-mutin ho eukaliptu-metan no ai-hun sira seluk ne'ebé importante" ne'ebé lakon nune'e mós ba manu sira hanesan "makikit, kakatua ho manu-metan".


 


Mane halakon daudaun "vejetasaun sira ne'ebé karun iha tinan 50 ikus ne'e", hatete hosi Ximenes Belo, ne'ebé ko'alia iha eventu ida ne'ebé halo hosi Universidade Coimbra hodi hanoin hikas tinan 20 Nobel Dame nian, ne'ebé bispu timoroan simu hamutuk ho José Ramos-Horta.


 


"Teritóriu maka sai kiak liu tanba lakon nia ai-horis no nia animal sira", nia hatete no rejista mós kona-ba "sunu ne'ebé halo beibeik" iha nia nasaun hodi halo foho sira hatudu "aspetu ida triste no estraga boot".


 


Durante nia diskursu, bispu timoroan apela ona ba "partisipasaun internasional no liuliu ba nasaun sira lian portugeza nian" hodi apoia povu timoroan "hodi prezerva nia meiu ambiente".


 


Bainhira haree ba tinan 16 independénsia nian, Ximenes Belo hatete katak prosesu permiti ona ba timoroan sira hodi bele "goza kalma, liberdade, demokrasia".


 


Iha "fortalesimentu ekonomia ida", iha auzénsia hosi "abuzu sira ba direitu ema sira nian, prizaun arbitráriu sira ka tortura sira" ne'ebé marka ona pasadu hosi okupasaun indonéziu nian, nia hatutan.


 


"Autoridade sira dedikadu hodi hadi'a situasaun ekonómiku hosi povu timoroan nian", nia hatete hodi konsidera katak tenki kontinua "halibur forsa no vontade sira" hodi kontinua prosesu kontrusaun hosi nasaun ida "pasífiku, solidáriu, progresivu no justu".


 


"Timor: Imagens e palavras que mudaram o mundo" hanesan inisiativu ida hosi Universidade Coimbra ne'ebé organiza to'o loron-kinta eventu oioin dedikadu ba tema, hodi hanoin hikas tinan 25 masakre Santa Cruz nian no tinan 20 ba Nobel Dame ne'ebé fó ba Ximenes Belo ho José Ramos-Horta.


 


ho Lusa

14
Dez16

Bispo Ximenes Belo alerta para o desaparecimento de fauna e flora em Timor-Leste

SAPO TL

O bispo católico timorense Ximenes Belo alertou hoje em Coimbra para o desaparecimento de fauna e flora em Timor-Leste, onde encontra "montanhas e colinas que apresentam um aspeto de desolação e tristeza". 


 



Uma andorinha em Tibar, Timor-Leste. Fotografia tirada e cedida pelo António Casais ao SAPO Timor-Leste


 


O bispo sublinhou que "o meio ambiente timorense está sujeito a uma contínua depauperação", observando o desaparecimento de matagais de "sândalo, teca, palavão preto e palavão branco e de outras árvores preciosas", bem como de aves como "o makikit, a cacatua, o manu metan".


 


O homem tem feito "desaparecer vegetações luxuriantes nos últimos 50 anos", vincou Ximenes Belo, que discursava num evento dinamizado pela Universidade de Coimbra que evocava os 20 anos do Prémio Nobel da Paz, que o bispo timorense recebeu conjuntamente com José Ramos-Horta.


 


"É o território que fica mais pobre na sua fauna e na sua flora", frisou, registando as "queimadas contínuas" no seu país, que levam a que as montanhas e colinas apresentem "um aspeto de desolação e tristeza".


 


Durante o discurso, o bispo timorense apelou à "participação internacional e sobretudo aos países da língua portuguesa" para apoiar o povo timorense "na preservação do seu meio ambiente".


 


Olhando para os 16 anos de independência, Ximenes Belo salientou que a o processo permitiu aos timorenses poderem "gozar de calma, de liberdade, de democracia".


 


Houve um "fortalecimento da economia", na ausência de "abusos de direitos humanos, prisões arbitrárias ou torturas", que marcavam o passado de ocupação indonésia, notou.


 


"As autoridades estão empenhadas em melhorar a situação económica do povo timorense", sublinhou, considerando que é preciso continuar a "unir forças e vontades" para se continuar o processo de construção de uma nação "pacífica, solidária, progressiva e justa".


 


"Timor: Imagens e palavras que mudaram o mundo" é uma iniciativa da Universidade de Coimbra que organizou até hoje um conjunto de eventos dedicados ao tema, assinalando os 25 anos do massacre de Santa Cruz e os 20 anos do Nobel da Paz atribuído a Ximenes Belo e José Ramos-Horta.


 


com Lusa

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D